CUPER

Pedro Cupertino, ou Cuper, nasceu em 21 de junho de 1983, no hospital Conceição, na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Filho de Naira Beckmann e Luiz Ricardo “Che” Cupertino, passou sua infância na cidade de Porto Alegre. Estudante do colégio Piratini, se mudou para a Escola de 1º e 2º Graus Pastor Dohms na 7ª série, no então ano de 1996. Possuia uma locadora de fitas de video-game na sala da casa de seu pai, situada na rua Maryland, onde freqüentemente ainda fazemos churrascos – e dos bons. Esta locadora fechou em meados de 1995, mas o menino Pedro continuou muito ligado ao mundo informatizado que então surgia. Após sair da escola, entrou para o curso de Ciência da Computação na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – na época, o curso ainda se chamava “Informática”.

Como se esquecer daquele ano de 1999, quando Pedro substituiu o suspenso Diego Masiero no time Los Fazedores de Golos e marcou duas vezes na derrota de 3 a 2 para o time Too Drunk To Fuck. Ele ainda alega quase ter marcado um gol de calcanhar e de cobertura naquela ocasião – põe a culpa na cesta de basquete, mas poucos se lembram do fato. Algum acham que não passa de uma lenda.

Em 4 de dezembro de 1999, Pedro era um dos quatro integrantes da então banda sem-nome que posteriormente se chamaria Fresno. Junto com Gustavo, Lucas “Paraíba” e Leandro “Nêgo”, ensaiou músicas como “Detetive”, “Mulher de Fases”, “Confisco”, “Agamamou”, “O Carcará e A Rosa” e “Bem-Querer”, sempre tocando bateria. Hoje, Pedro “Cuper” mora em São Paulo junto com 4 amigos, destoando deles ao ser um milionário no meio de quatro pobretões. É o cozinheiro da casa, careca, barbudo, tatuado e não gosta de ovo. Planeja ter 2 filhos (“duas meninas”, segundo suas palavras). Se sente velho e não gosta de sair de casa – leia-se as chamadas “baladas paulistanas”. Não bebe e não usa drogas – sequer já usou.

Entrevistei-o nesta noite de segunda-feira em minha casa e reproduzo abaixo suas palavras.

Gustavo: “Pedro, em quem te espelhaste para tocar bateria?”
Pedro: “Desde criança, escutei bandas com Metallica e Ramones. Poderia dizer que Lars e Marky são influências constantes.”

G: “A que justifica o sucesso da Fresno na internet?”
P: “Associo o sucesso da banda ao fato de todos integrantes passarem muito tempo em frente ao computador. Isso ajudou muito na divulgação no surgimento da banda.”

G: “Qual seu programa de televisão favorito?”
P: “Gosto muito do seriado Friends. Também aprecio Os Simpsons e Family Guy – este último apresentado a mim por meu amigo Gustavo.”

G: “Vamos um pouco para o lado das fofocas. Qual era sua Spice Girl favorita?”
P: “A ruiva… Qual era mesmo o nome dela?”
G: “Geri alguma-coisa…”
P: “Essa mesmo.”

G: “As mulheres dão muito em cima pelo fato de seres de uma banda de rock?”
P: “Não, pois o foco está sempre no vocalista.” (risos)

G: “Muito obrigado, e tenha uma boa noite.”
P: “Obrigado.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s